Dia 16 – Folga em Burgos!!!✌✌

Aí que delícia tirar uma folga nas férias 😃😃😃.

O meu primeiro compromisso do dia foi tomar o café da manhã mais gostoso de Burgos.  Tomei um café com Chantilly e calda de chocolate,  croissant com cereais,  sanduíche com queijo e ovo….perfeito! Tava tão bom que tomei outro café e ainda pedi pra embrulhar mais uns croissants e um pão pra mãos tarde 😄.

Tive que deixar o hotel que estava lotado pra hoje e fui pro albergue,  no caminho passei no mercado municipal e comprei um queijo pra comer com o pão e umas frutas pra disfarçar, hehehe.

Entrada do Albergue Municipal.
Entrada do Albergue Municipal.
As camas ficam separadas, mais privacidade 😃
As camas ficam separadas, mais privacidade 😃

Banheiros organizados , mas misto a parte de pias e chuveiros.

Depois de garantir minha vaga no disputado albergue,  fui atrás de comprar minha blusa nova na Decathlon, que é um loja “paraíso” dos esportistas e fiz um estrago lá.  Comprei o que precisava e também o que eu queria: Blusas, calça de chuva, outra legging,  whey protein,  Porta Dinheiro, garrafinha. … passei uma tarde por lá vendo tudo o que eu queria e não poderia carregar. Bom, faz parte da minha escolha né?

Voltando pra cidade lá estava muito animado, cheio de festas, muita gente super arrumada na rua, e ainda ia ter o jogo do campeonato espanhol que estava super comentado na cidade. Mas só tive forças pra ir no museu militar  (aproveitei que estava tudo de graça hoje por conta de um evento chamado noite Blanca,  onde todos os eventos culturais do dia são de graça 😃😃😃.

Eu no museu militar, pra que foram dar a idéia ????
Eu no museu militar, pra que foram dar a idéia ????
O Castillo de Burgos, maquete da construção mais antiga da cidade.
O Castillo de Burgos, maquete da construção mais antiga da cidade.
Replica da parada militar.
Replica da parada militar.
Muito legal os soldadinhos músicos!
Muito legal os soldadinhos músicos!
2016-05-31 11.37.48
Repare na bola laranja na maquete da Espanha, olha eu ali dando Tchau de blusa laranja

Depois de lá,  tomei umas no boteco em frente ao albergue,  jantei e fui dormir. Estava cansada e achei melhor descansar de verdade no meu dia livre.

Dados Extras :

Café da manhã : €9.70
Albergue : € 5.00
Feira: € 5.00
Mercado: € 5.70
Jantar: € 10.00
Total: € 35.40
Total Acumulado : € 451.95

Não andei nada hoje 😃😃😃

Mas no acumulado da 286km

Dia 15 – Cardeñuela Rio Pico a Burgos

Eba!!! Dia de ir pra Burgos! Acordei me sentindo como as pessoas que moram no interior e vão passar o fim de semana na capital: fazer compras, ver gente bonita, comer coisas gostosas e diferentes,  passear…. e o melhor de tudo: internet que funciona! !!!!! Uhuuuuu!

A caminhada ia ser curtinha e batendo papo então passou rapidão 😃.

Saindo do albergue de Cardeñuela, uma foto antes de partir.
Saindo do albergue de Cardeñuela, uma foto antes de partir.
Na saída da cidade tinha essa pintura. ... sabe que as vezes rola mesmo a identificação com o cara da pintura.
Na saída da cidade tinha essa pintura. … sabe que as vezes rola mesmo a identificação com esse cara.

O caminho foi fácil e tranquilo,  terreno plano, sol com tempo fresco… chega logo Burgos!

Chegando na cidade descansei rapidinho e já fui pra rua bater perna.  Os espanhóis levam muito a sério a siesta,  então a rua tava vazia e tudo fechado,  aproveitei  pra almoçar antes de passear e comprar as coisas que eu estava precisando.

A pracinha com a igreja e a biblioteca municipal. Meu hotel ficava a 1 quadra da praça Espanha, bem legal a redondeza.
A pracinha com a igreja e a biblioteca municipal. Meu hotel ficava a 1 quadra da praça Espanha, bem legal a redondeza.
Meu almocinho delícia - difícil achar algo sem presunto, peixe ou Bacon por aqui, a tortilla sempre salva.
Meu almocinho delícia – difícil achar algo sem presunto, peixe ou Bacon por aqui, a tortilla sempre salva.

Depois que o comércio abriu, dei uma olhada nas lojas esportivas procurando uma nova camiseta, nada encontrei,  então porque não experimentar umas maquiagens e perfumes para relembrar como era a vida antes de ser peregrina?

A cidade é linda e tem muita história.  Fiz uns snaps que dá pra ver melhor a cidade. Depois clica no vídeo pra ver 😉.

Ainda tive pique pra subir no ponto mais alto da cidade a pé pra ver a vista. Olha a cara de alegria de quem vai tomar uma daqui a pouco.
Ainda tive pique pra subir no ponto mais alto da cidade a pé pra ver a vista. Olha a cara de alegria de quem vai tomar uma daqui a pouco.
Mais um pouco da vista
Mais um pouco da vista
Essa nem é a catedral, mas é linda 😍
Essa nem é a catedral, mas é linda 😍
E eu tentando esconder a pochete.... Depois vou cortar pra revelar essa foto.
E eu tentando esconder a pochete…. Depois vou cortar pra revelar essa foto.
E essa casa cheia de vasinhos? 😍😍😍
E essa casa cheia de vasinhos de flor? 😍😍😍

Depois de turistar,  fui procurar um lugar pra tomar uma pra refrescar e encontrei minha amiga Amy da Irlanda indo jantar com uns amigos,  fui junto e adivinhem onde: num restaurante onde a cozinheira era brasileira.  A comida estava deliciosa!!!

A galera reunida. A de azul lá no fundo é brasileira também! O restante é da Alemanha, Irlanda e Austrália.
A galera reunida. A de azul lá no fundo é brasileira também! O restante é da Alemanha, Irlanda e Austrália.

O serviço no restaurante estava tão bom que fomos ficando  (Excalibur, no fundo da catedral), e eu bebendo. …. Depois ainda fui tomar uma saideira (“one for the road” em inglês,  mais um termo essencial aprendido pra incrementar meu inglês de emergência)
com a turma que caminhei ontem junto com a Amy também, e depois fui pro hotel descansar de verdade.

Um skype antes de dormir com o namorado depois de tantas cervejas só serviu pra dar mais saudades…. Rolou umas lagriminhas de leve, mas faz parte né?

Dados Gerais

Café: € 2.00
Lanche da manhã: € 4.00
Hotel: € 29.00
Almoço : € 6.70
Jantar e happy : € 7.50

Saideiras: € 3.00

Total:€ 52.20
Total Acumulado : € 416.55

Percorri hoje 16.00 km
Acumulado:  286.00 km (37% do caminho uhu!)
Restam ainda:  489.0 km

Dia 14 – Villafranca Montes de Oca a Cardeñuela Rio Pico 26/05/16

Tomei café com o pessoal no albergue e logo pegamos o caminho. O começo foi uma subida meio chatinha,  mas logo pudemos ver a paisagem maravilhosa e acaba sempre compensando.  Neste dia aliás foi um dos que mais teve morros nesta semana, antes era predominante plano, hoje foi de lascar 😁.

Oasis do caminho, lugar bem interessante no meio da floresta.
Oasis do caminho, lugar bem interessante no meio da floresta.
Tem banquinhos e totens espalhados no lugar
Tem banquinhos e totens espalhados no lugar
Várias pessoas deixam mensagens nas peças de madeira
Várias pessoas deixam mensagens nas peças de madeira
Minha favorita - Mágica existe e acontecerá pra você!
Minha favorita – Mágica existe e acontecerá pra você!
Essa também é otima - felicidade só é real quando é compartilhada.
Essa também é otima – felicidade só é real quando é compartilhada.
Até a Tuna fez uma parada no Oásis
Até a Tuna fez uma parada no Oásis

A primeira parada que fizemos foi no “oasis”, um lugar muito interessante e cheio de arte!
Logo depois paramos em um café e acabei reencontrando minhas amigas brasileiras e o Agapito, mas acho que desta vez será a última,  pois eles irão fazer um trecho da viagem de táxi hoje (aqui o tempo todo reencontramos as pessoas, as vezes parece que vai ser difícil isso acontecer, porém os pontos de encontro são os mesmos, então mesmo quando estou adiantada ou atrasada acabo revendo os conhecidos).

Cidade onde tomei um cafezinho. Reforma arrojada na igreja.
Cidade onde tomei um cafezinho. Reforma arrojada na igreja.

Provei hoje em Ages também o melhor bocadillo da viagem segundo os entendedores. Estava realmente muito bom e valeu uma foto! O pão era uma combinação de crocante e macio com saboroso e viciante.

Ages tem várias construções históricas, e esse restaurante da parada é especial.
Ages tem várias construções históricas, e esse restaurante da parada é especial.
Por dentro é muito lindinho. A construção foi toda preservada.
Por dentro é muito lindinho. A construção foi toda preservada.
Uma interessante escultura no balcão do estabelecimento.
Uma interessante escultura no balcão do estabelecimento.
E esse sanduíche é o melhor do mundo! O pão é muito crocante e macio com gosto de azeite, hummmm delícia demais!
E esse sanduíche é o melhor do mundo! O pão é muito crocante e macio com gosto de azeite, hummmm delícia demais!
No topo do morro tem essa cruz...
No topo do morro tem essa cruz…
...E essa placa avisando que tem vista linda pela frente.
…E essa placa avisando que tem vista linda pela frente.
E era verdade, mas a foto nunca faz juz
E era verdade, mas a foto nunca faz juz

Definitivamente nestes últimos dias tenho pegado um pouco pesado com a comida,  se um dia perdi peso, hoje nos reencontramos. Aqui as comidas são muito gordas. No café da manhã sempre tem croissant ou massa folheada doce recheada, ou um bolinho tipo sonho recheado.  Tem ainda vários biscoitos doces e bolos… É difícil manter a linha aqui.

Uma com limão.
Uma com limão.

No final do dia, chegando no albergue não resisti e novamente tomei umas. Tô gostando dessa história do Happy hour diário. … e em seguida nos reunimos com os demais colegas do albergue para jantarmos juntos.

A mesa do jantar peregrino.
A mesa do jantar peregrino.

Esta parte foi muito legal por conhecer a história da Ulla e do Júlio.  Quando sentei a Daniela já estava conversando com eles, então fiquei sapeando o papo e o caso é o seguinte: Há um ano atrás,  Ulla e Júlio estavam fazendo o Caminho,  quando ela muito sabiamente puxou assunto com ele e ofereceu um pedaço de queijo que tinha em troca do lugar na mesa. Ele caiu como uma ratinho na ratoeira segundo ela, rsrs. Esse encontro aconteceu já no fim do caminho,  perto de Santiago,  porém eles mantiveram contato ao longo do ano por Skype e resolveram refazer o caminho juntos este ano. Eles são muito legais e mais legal ainda é ver a paixão entre os dois e a troca de carinho. Tá vendo? O amor pode acontecer pra todo mundo em qualquer tempo!!!!! 😍😍😍

Ulla da Dinamarca e Júlio dos Estados Unidos ❤
Ulla da Dinamarca e Júlio dos Estados Unidos ❤

Eles não fazem planos futuros, mas estão certamente aproveitando cada minuto que estão juntos.

Café : € 2.80
Almoço : € 5.00
Happy hour e jantar: € 11.20
Albergue: € 8.00
Total:€ 27.00
Total Acumulado : € 364.35

Percorri hoje 24.20 km
Acumulado:  271.50 km
Restam ainda:  503.40 km*

Dia 13 – De Grañon a Villafranca Montes de Oca – 25/05/16

A vista da saída da cidade.
A vista da saída de Grañon.

Tem uma coisa que eu já percebi que mudou em mim: importar menos com as coisas, especialmente aquelas pequenas que acabam sendo muito perturbadoras. Quando eu vi que ia dormir no chão o primeiro pensamento foi: de jeito nenhum! O segundo foi: mas qual o problema? E o terceiro foi: acho que vai ser uma boa experiência.  Como em todos os dias, eu entrei no meu saco de dormir e a magia aconteceu : eu dormi!  (todos os dias durmo dentro dele devido à falta de lençóis/cobertas). Já achei ruim dormir em vários lugares muito melhores,  então essa experiência tem sido muito educadora. Lógico que ter conforto, dormir em lençóis perfumados e macios numa cama confortável é ótimo,  porém não ter isso não é o oposto de ótimo, pois no fim o sono foi o mesmo.
Também notei que ficar sozinha é legal , mas ter companhia e ouvir pessoas diferentes da sua realidade é um nível acima.
Hoje até metade do caminho andei na companhia do Mikael, um tcheco-eslovaco muito legal que conheci no jantar ontem.  Não tinha conversado com ele direito ontem, mas a manhã inteira conversando com ele foi legal por me sentir como ele, mesmo morando em outro lado do planeta. Ele trabalhou por 8 anos na mesma empresa e tinha 2 semanas de férias por ano, até que percebeu que só trabalhar não era o bastante,  que tinha outras coisas que ele gostaria de fazer,  aí pediu demissão e colocou a mochila nas costas. Já foi para a Tailândia,  esta agora aqui no caminho,  e depois disso vai fazer de bicicleta o curso do rio Danúbio (esse eu curti também,  quem sabe numa próxima aventura!).
Estava num papo legal com ele até que ouvi alguém surgir do além (no caso na moitinha fazendo xixi) me perguntando se eu era brasileira,  respondi que sim e aí começamos um longo papo que nem sei onde o Mikael foi parar depois disso…era a Daniela do Brasil,  que começou o caminho um dia depois de mim e me viu com o lenço da bandeira no pescoço.  Foi ótimo encontrá -la e conversar em português.  Ela estava viajando com um grupo de amigos que conheceu em St Jean,  tinha uma outra brasileira no grupo, a Juliana, que conheci logo que paramos para tomar um café.
Gostei do papo e da turma e decidi caminhar com eles até a sexta – feira,  dia que chegaremos em Burgos.

Novas flores surgindo no caminho
Novas flores surgindo no caminho
A igrejinha na montanha valeu uma foto, mas não a caminhada até lá
A igrejinha na montanha valeu uma foto, mas não a caminhada até lá

O meu plano era caminhar 20km neste dia e dormir em Tosantos,  mas a companhia tava boa, a cidade era muito pequena e sem atrativos, acabei resolvendo ir com eles até Villafranca chegando a mais de 27km em um dia! Meu recorde!
Chegando no albergue segui meu ritual de sempre e quando terminei fui encontrar a nova turma no bar do albergue. Foi uma delícia a conversa, foi chegando mais gente pra sentar na mesa, e foi ótimo ouvir as pessoas conversando e contando mais sobre a vida.

Happy na varanda, tava frio mas não dei conta de ficar no sol.
Happy na varanda, tava frio mas não dei conta de ficar no sol. Na foto: Daniela e Juliana do Brasil, Jay e José da Austrália,  Hanna de Oxford,  Eimen da Irlanda e esse cara do meu lado é Alemão e não entendi o nome dele 😀
Outro cãozinho peregrino.
Outro cãozinho peregrino.

Emendei o happy e fui jantar com eles, apesar da boa companhia o menu não estava muito pro meu gosto, mas o pão de entrada foi o melhor que já comi. Muito bom!

Dados Gerais

Café : € 4.50
Almoço : € 4.00
Mercado : € 9.50
Happy e jantar: € 15.00
Albergue : € 6.00
Total do dia: € 39.00
Acumulado : 337.35

Percorri hoje 27.5 km
Acumulado:  247.30 km
Restam ainda:  527.70 km*

Dia 12 – De Azofra a Granon – 24/05/16

Vista da janela: o sol está raiando, hora de acordar!
Vista da janela: o sol está raiando, hora de acordar!

Graças a São Tiago,  nosso padroeiro querido eu não tenho tido nenhum problema pra dormir. Ouço várias pessoas reclamando de ronco, barulho,  dor, frio, etc…. Porém pra mim está tudo ótimo! Ponho meu tampão de ouvido, minha máscara de dormir,  e fim. …. e como dormi em quarto duplo na noite passada, nem percebi a movimentação que normalmente me acorda de manhã da galera se arrumando,  então fui a última a deixar o albergue.  Este é o lado bom de estar viajando sozinha, sem preocupação com horário nem compromisso, mas confesso que já estou sentindo falta de amigos e conversar fiado.
Sobre a galera acordar tão cedo sabem a razão?  Pra conseguir vaga no albergue da cidade onde querem parar é bom chegar cedo, e também pra evitar o sol depois do meio dia que aqui sapeca a moleira sem dó!

Paisagem de hoje: muitos vinhedos. A província que estou, Rioja, é muito famosa pela qualidade dos vinhos.
Paisagem de hoje: muitos vinhedos. A província que estou, Rioja, é muito famosa pela qualidade dos vinhos.
Na parada em São Domingo de la calzada conheci a Tuna, a peregrina mais animada e linda do caminho.
Na parada em São Domingo de la calzada conheci a Tuna, a peregrina mais animada e linda do caminho.
Cruz no caminho, bem no meio da subida, se eu parar perco a coragem.
Cruz no caminho, bem no meio da subida, se eu parar perco a coragem.

O caminho hoje foi tranquilo,  no meio do caminho comprei um foninho pra escutar meu som com mais privacidade, ou ao menos incomodar menos os outros, pois não parei de cantar 😁.

Rua principal de Grañon
Rua principal de Grañon

Aí a cidade que eu havia decidido parar foi Grañon, e quando cheguei lá adivinhem : só tinha vaga no albergue paroquial.
A chegada lá foi impactante, pois cheguei depois de um grupo de italianos grande,  e já veio na memória a lembrança de ficar sem vaga…. mas ainda bem que deu tudo certo e eu arrumei um cantinho no chão da capela. Essa parte também foi impactante : ia dormir no chão.

Capela da igreja com colchonetes: improviso pra acomodar a todos que aparecem.
Capela da igreja com colchonetes: improviso pra acomodar a todos que aparecem.
Pelo menos descolei um cantinho, ali meu saco de dormir no jeito.
Pelo menos descolei um cantinho, ali meu saco de dormir no jeito.

A parte boa é que a hospitaleira era brasileira e muito legal, me deixou super a vontade,  me mostrou as opções de lugar pra me acomodar, dicas de lugar pra estender a roupa. E também convidou a mim e a todos pra jantar e tomar café com os donativos deixados pelos peregrinos do dia anterior.

Esperando a padaria abrir com muita paciência.
Esperando a padaria abrir com muita paciência.
Só digo que valeu a pena cada minuto.
Só digo que valeu a pena cada minuto.
Jardim da paróquia onde os peregrinos ficam batendo papo e tomando um sol pra espantar o frio.
Jardim da paróquia onde os peregrinos ficam batendo papo e tomando um sol pra espantar o frio.

Subi pra copa 6 da tarde para ajudar a preparar o jantar, e chegando lá tava rolando uma confraternização com violão e performance dos coreanos. Foi bem legal, pois é uma boa oportunidade de conhecer os outros. Então a acomodação não tão boa compensa e muito pelo social. Teve ainda missa com bênção do padre antes do jantar e depois tivemos uma meditação sobre o caminho que valeu a pena esperar até o final.

Galera esperando o jantar.
Galera esperando o jantar.
Missa para os peregrinos, no final fomos lá na frente receber a bênção do padre.
Missa para os peregrinos, no final fomos lá na frente receber a bênção do padre.
Ajeitaram as mesas pra caber todos jantando juntos.
Ajeitaram as mesas pra caber todos jantando juntos.
Depois do jantar cerimônia de meditação para um breve reflexão sobre o caminho.
Depois do jantar cerimônia de meditação para um breve reflexão sobre o caminho.

 

Bem, o jantar estava delicioso!  Os italianos cozinharam macarronada e serviram também salada verde.
Depois de muito social, hora de dormir!

 

Dados gerais:
Café : € 2.70
Lanchinho: € 2.00
Fone de ouvido: € 3.50
Donativo albergue : € 7.00

Total do dia: € 15.20
Total acumulado: € 298.35

Percorri hoje 22.20 km
Acumulado:  219.80 km
Restam ainda:  555.20 km*

Dia 11 – De Navarrete a Azofra 23/05/16

Depois de dormir 11 horas seguidas,  como não acordar disposta?  Fui que fui, tendo como plano inicial Najera,  acabei passando e indo até a próxima cidade que era mesmo meu plano antes da gripe chamada Azofra.

Saindo de Navarrete uma surpresa! Tinha um avião desenhando no céu a concha que representa o caminho
Saindo de Navarrete uma surpresa! Tinha um avião desenhando no céu a concha que representa o caminho
Quase da pra ver a concha no céu. A paisagem logo na saída da cidade.
Quase da pra ver a concha no céu. A paisagem logo na saída da cidade.
Novas flores aparecendo no caminho
Novas flores aparecendo no caminho
E uma igrejinha no horizonte
E uma igrejinha no horizonte
Pra quem não sabia olha de onde vem os canos de pvc. Ouuuu talvez seja um vinhedo.
Pra quem não sabia olha de onde vem os canos de pvc. Ouuuu talvez seja um vinhedo.
A roseira mais linda que já vi, muito perfumada também!
A roseira mais linda que já vi, muito perfumada também!
Essa é Najera, uma cidade importante do caminho, ia dormir aí, mas passei direto pra andar um pouco mais hoje.
Essa é Najera, uma cidade importante do caminho, ia dormir aí, mas passei direto pra andar um pouco mais hoje.
Escola de arte de Najera
Escola de arte de Najera

Estava tão bem, que poderia ter caminhado  mais, no entanto  achei prudente ficar dentro do plano.
A cidade era bem pequena,  uma vila quase,  então me hospedei no albergue municipal que era a única opção além do paroquial e segui a rotina de sempre : tomar banho,  lavar roupa,  limpar a bota (essa eu pulo às vezes – quase sempre), lanchar algo que eu tenha na mochila, dormir um pouco, sair pra comprar algo pra comer,  cozinhar,  jantar e dormir. Só não cozinho se o albergue não disponibilizar cozinha,  aí como fora. Mas também eu não chego a cozinhar de verdade, faço uma salada com ovo cozido ou sanduíche de queijo com tomate.
Pausa para uma noticia relevante: hoje na hora que estava separando a roupa que ia usar e a que ia lavar uma desagradável surpresa: cadê a blusa azul????? 😱😱😱😱. Não  sei se vocês viram o post da minha mochila,  mas eu trouxe 4 blusas, sendo 2 pra caminhar com filtro solar (uma azul e uma laranja), 1 pra passear nas tardes de calor pretinha básica e uma fleece quentinha pra dormir também cor laranja (essa minha prima patrocinadora que me emprestou, Beijo prima!). Então eu tinha perdido 25% das minhas blusas 😔. Uma perda que vou tentar superar torcendo pra blusa laranja oficial sempre secar de um dia para o outro, então já vou logo avisando, acostumem – se com o Look laranja, é o que teremos até o fim da jornada.

Aqui é chegando em Azofra, adoro janelas floridas.
Aqui é chegando em Azofra, adoro janelas floridas.
Esse era o quarto do albergue, tinha até porta, super vip!
Esse era o quarto do albergue, tinha até porta, super vip!

Depois de todas as tarefas do dia executadas, conecto na internet do albergue e fico ajeitando as coisas pro blog e fuçando no celular.  Se não internet  eu enturmo e bato papo com quem estiver de bobeira. Hoje tinha wi-fi, então fui bem anti-social.
Mas para o bom descanso do peregrino a internet não pegava no quarto aí dormi cedinho  (isso aí!  Quarto vip para 2 pessoas! Mega chique esse albergue 😃).

Dados extras:

Café: € 3.40
Café e água/fruta: € 2.70
albergue: € 7.00
Remédio para gripe € 6.95

Total do dia: € 20.05
Total acumulado: € 283.15

Percorri hoje 22.60 km
Acumulado:  197.60 km
Restam ainda:  577.40 km

Dia 10-De Logroño a Navarrete 22/05/16

Dia de partir!!!! Tchau Logroño!
Dia de partir!!!! Tchau Logroño!


Esta não foi uma boa noite de sono. Lembra que mencionei que teve uma festa na cidade ontem?  Então,  os bêbados vieram todos pra porta da igreja gritar e nos acordar, pobre de nós  peregrinos cansados 😒😔.  Não entendi exatamente o conteúdo dos gritos,  mas era algo como: acorda peregrinos!  E uma cantoria que não acabava nunca.
Enfim,  quando o pessoal começou a levantar lá pelas 6hs da manhã, levantei junto, mesmo muito mole da gripe não consegui ficar quieta… Tomei o café da D. Elza e parti rumo à Navarrete.
A caminhada foi mais difícil do que eu esperava,  me sentia pesada,  o nariz muito congestionado, tossindo. …Depois de uns 2km andando até pensei em voltar, mas achei melhor sentar no banco da praça e esperar a coragem voltar.

Vários parques no caminho! Foi muito agradável, especialmente por ser domingo e ver os moradores curtindo o dia de folga.
Vários parques no caminho! Foi muito agradável, especialmente por ser domingo e ver os moradores curtindo o dia de folga.
O restaurante do parque tinha uma vista linda! Fiquei curtindo a vista até a chuva passar.
O restaurante do parque tinha uma vista linda! Fiquei curtindo a vista até a chuva passar.
A vista do lago depois de algum tempo caminhada.
A vista do lago depois de algum tempo caminhada.
Estava tendo uma corrida no parque, e do lado uma parada interessante, um senhor que fazia propaganda do caminho e vendia souvenirs.
Estava tendo uma corrida no parque, e do lado uma parada interessante, um senhor que fazia propaganda do caminho e vendia souvenirs.

O trecho até Navarrete é muito bonito, a maior parte dele é dentro de parques, acaba um e começa outro, muito agradável,  teria sido perfeito se não fosse minha gripe. E se não fosse a chuva também.  Começou a chover e apertei o passo para achar um abrigo, logo avistei um bar e lá fiquei até a chuva passar.
Retomei o caminho 1 hora depois, já estava mais animada, até que de repente: Chuva!!! Mas dessa vez não foi garoinha como das outras vezes não,  foi chuva mesmo!!!! De raios e trovões e tudo mais.
Nessa hora só lembrava do mantra da Xuxa: Eu quero,  eu  posso, eu consigo!  Fui com esse mantra até chegar em Navarrete,  ensopada.
O primeiro albergue que achei eu parei e por lá fiquei. Para minha sorte ele era mais hotel que albergue,  eram 4 camas no quarto,  com TV e banheiro,  bem do jeito que eu estava precisando.
E depois disso foi só cochilinho,  cochilo, soneca,  naninha, dormida…. levantei só pra dar uma voltinha na pracinha e logo voltei pra dormir. Programa de domingo mesmo 😃😴.

Depois de dormir muito a tarde inteira, fui dar uma voltinha na praça, que estava vazia 😞
Depois de dormir muito a tarde inteira, fui dar uma voltinha na praça, que estava vazia 😞
Igreja na praça e com escultura - essa foi uma foto artística que tirei do chão caso não tenham notado
Igreja na praça e com escultura – essa foi uma foto artística que tirei do chão caso não tenham notado
O interior da igreja é lindo! Dourado como todos por aqui.
O interior da igreja é lindo! Dourado como todos por aqui.
Achei muito lindo o altar com a nossa senhora todo florido!
Achei muito lindo o altar com a nossa senhora todo florido!

 

Dados Gerais:
Café: €1.40
Mercado : € 5.50
Albergue : € 9.00
Total do dia: € 15.90
Total acumulado: €263.10

Percorri  hoje 12.70 km
Acumulado: 175.00 km
Restam ainda:  600.00 km*

Dia 9 – De Viana a Logroño 21/05/16

Eita que a dor de garganta evoluiu pra uma gripe…. ninguém merece!!!! Enrolei até pra sair do albergue,  mole que só. Enrolei tanto que fiquei pra trás … Hoje nem quis comer, tomei só um café com leite e peguei o rumo pra Logroño.
Logo na saída da cidade fiquei perdida e fui ajudada por um peregrino italiano chamado Giuseppe.  Como ele não falava nada de outra língua e eu nada de italiano, não deu pra conversar, mas ele foi caminhando junto comigo, acho que por solidariedade de me ver doente, achei bem legal da parte dele.

O dia estava lindo!!!! Um sábado pra não se botar defeito, minha caminhada foi bem agradável e curta, foram só 9km, acho que nem daria conta de mais mesmo.

Hoje cruzei a divisa entre as províncias de Navarra e Rioja
Hoje cruzei a divisa entre as províncias de Navarra e Rioja
Essa aí parece que não quer papo com peregrinos, vários cartazes advertindo pra não chegar perto
Essa aí parece que não quer papo com peregrinos, vários cartazes advertindo pra não chegar perto
Parque na chegada da cidade com um ninho de cegonha
Parque na chegada da cidade com um ninho de cegonha
O ninho e a cegonha
O ninho e a cegonha
Eu me esforcei pra dar o melhor sorriso, mas tava dificil, a ponte no fundo liga o centro histórico à parte mais nova
Eu me esforcei pra dar o melhor sorriso, mas tava dificil, a ponte no fundo liga o centro histórico à parte mais nova

A chegada em Logroño é muito bonita, com casas floridas e parques lindos. Teve até um ninho de cegonha pra deixar ainda mais interessante. A primeira parada em Logroño foi no centro turístico pra ver as opções de albergue, e queria também um computador pra ajeitar o blog, ai fui encaminhada para a biblioteca do museu de ciências municipal, que aliás é muito legal e bem administrado.

O computador bala da biblioteca.
O computador  da biblioteca grátis para blogueiras peregrinas (e para os outros também )
E olha a vista da sala que linda!!!!
E olha a vista da sala que linda!!!!

Terminei de ajeitar e blog e fui atrás de hospedagem. O pessoal havia indicado o albergue municipal mesmo, disseram que era reformado e um dos melhores da cidade. Eu queria algo mais confortável para descansar e recuperar da gripe, então fui la primeiro ver como era. Chegando lá a surpresa nr. 1 do dia: uma fila enorme!!!! Tava cansada e com o corpo dolorido então pensei em dar uma volta e olhar outros. O primeiro que fui estava lotado, então pra nao ficar andando resolvi ligar e para minha surpresa todos estavam lotados. Voltei correndo pro municipal, encarei a fila e quando chegou a minha vez adivinha? Se você chutou que acabaram as vagas bem na minha vez, você acertou. PUTZ!!!! Fiquei muito chateada. Se eu não tivesse saído dessa fila…. pedi uma ajuda pro atendente e ele recomendou que eu fosse para o albergue da igreja. Na hora já me deu um nervoso, pois imaginei um lugar lotado e ruim, mas era a única opção e fui então rezando pra achar uma vaguinha.
Lá chegando fui surpreendida pela acolhida. A hospitaleira voluntária da igreja se chamava D. Elza, uma venezuelana muito querida, que me recebeu com muita simpatia e disse que poderia ficar a vontade, escolher uma cama e que eu poderia jantar e tomar café com eles se eu quisesse, tudo grátis! !!!! Eu não estava acreditando, o lugar era demais!!!! E tudo grátis! !!! Eles só pedem um donativo, que pode ser depositado numa caixa discretamente sem que ninguém precise saber se fez ou não.
Fiquei muito emocionada. Achei que ia dormir na rua, e de repente já tinha uma cama na beliche de baixo (uhuuuu), banho quente bem gostoso em um banheiro limpinho e reformado, jantar e café da manhã! !!!
Notei que muita gente chegou depois de mim e os hospitaleiros foram dando um jeitinho pra acomodar todo mundo. Muitos dormiram sobre um colchonete no chão das salas da paróquia, mas acho que todos os que precisaram foram acolhidos.

Me arrumei, e fui dar uma volta pra almoçar e comprar algo pra jantar, caso as opções do albergue fossem carnívoras demais pra mim.

Arte na cidade
Arte na cidade

No meu rolezinho pela cidade descobri que estava tendo um casamento bem grande e uma festival no centro, então acho que foi por isso que os albergues lotaram cedo.
A galera do albergue era bem variada, mas dos que chegaram antes de mim notei que a maioria eram mais novos, imagino que sejam os aventureiros que viajam com pouca grana.

O jantar foi delicioso! Uma salada mista como eles chamam aqui, bem temperada, um cozido de carnes e linguiça com batatas e de sobremesa um iogurte. Rolou até um vinho pra brindar e uma musiquinha antes de jantar.
Depois do jantar descemos para fazer uma oração antes de dormir, ajudei na limpeza da cozinha e fui dormir bem feliz!

Entrada do Albergue paroquial
Entrada do Albergue paroquial
A galera jantando junto. Foi ótimo pra conversar.
A galera jantando junto. Foi ótimo pra conversar.
Depois da saladinha, o cozido, pra mim só as batatas
Depois da saladinha, o cozido, pra mim só as batatas
O interior da igreja com o altar dourado. Aqui todas são assim
O interior da igreja com o altar dourado. Aqui todas são assim
Galera reunindo para oração
Galera reunindo para oração
Tchau Santo Antônio! Boa noite!
Tchau Santo Antônio! Boa noite!

 

Café : € 3.30
Almoco: € 7.70
Mercado: € 5.00
Albergue : € 10.00 (doação )

Total do dia: € 26.00
Total acumulado: € 247.20

Percorri  hoje 9.50 km
Acumulado: 162.30 km
Restam ainda:  612.70 km*

Dia 8 – De Los Arcos a Viana – 20/05/16

Eita dor de garganta chata!!!! Caminhar com o corpo meio mole não é legal, por isso fui parando para ir bem de leve, tomando uns cafezinhos, e como fui caminhando com as peregrinas brasileiras hoje, aproveitei para ir admirando a paisagem e fotografando as flores pelo caminho. O dia estava lindo, o céu bem azul, maravilhoso de se ver, porém um dos temores do peregrino é o sol queimando a moleira.

Eu, Ana e Rosana. Acho que essa foi a nossa última caminhada juntas.
Eu, Ana e Rosana. Acho que essa foi a nossa última caminhada juntas.

Nao consigo parar de admirar como é linda a primavera aqui, os campos bem verdinhos, muitos campos de trigo, e em toda a parte  lindas e coloridas flores, por isso o post de hoje é dedicado à beleza das flores do campo.

 

Encontrei enquanto ia parando para fotografar as flores a D. Ilva,  uma italiana muito simpática que foi me acompanhando e contando o nome das plantas, fiz uns vídeos com ela, um inclusive dando parabéns ao meu primo Junior (Felicidades aí primo!), ela é realmente muito fofa! Completou em abril 70 anos que foi celebrada em uma festa que reuniu toda a família e onde ela resolveu fazer um importante comunicado: iria fazer novamente o caminho, mas que não se preocupassem, pois seria a última vez. Isso, a última, depois de 10 vezes que fez o caminho, disse que nao tem mais corpo para isso, que o joelho dói muito e que sem a companhia do marido não tem a mesma graça (desta vez ele vai de avião buscá-la em Santiago.

Rua principal da cidade
Rua principal da cidade
A praça da igreja
A praça da igreja
A igreja
A igreja
O albergue que fiquei (o municipal para os peregrinos )
O albergue que fiquei (o municipal para os peregrinos )

Chegando em Viana fiquei admirada com o quanto a cidade estava badalada e cheia de gente, mesas por toda a rua cheia de bares, muita gente tomando uns tragos! Fui para o albergue dormir, tava morta, dormi até umas 6 da tarde e aí sim fui dar uma volta pela cidade.

Aproveitei para comprar um acessório que durante toda a minha vida zoei muito, fiz muitas piadinhas, porém tive que ceder e reconhecer a praticidade dele: A pochete! Agora estou com o look de peregrina completo. Ter as coisas mais importantes à mao é muito prático, pois a mochila é pesada e afivelada em dois pontos do corpo, entáo cada vez que precisava de algo tinha que descer a mochila, abrir todas as fivelas, procurar no buraco negro…. chega disso, agora coloco meus documentos, dinheiro, celular tudo à mao, chega de perder coisas por aí (ja dei falta do meu fone de ouvido, de dinheiro e do meu porta-remedios que cairam dos bolsos por aì).

Me sentindo com minha pochete do poder - agora tenho tudo à mão, nada de perder as coisas mais.
Me sentindo com minha pochete do poder – agora tenho tudo à mão, nada de perder as coisas mais.

 

Dados extras:
Café: €2.00                                                                             Farmácia: € 5.00
Almoço: €7.00
Albergue: € 8.00
Doces de padaria €1.00
Total do dia: € 23.00
Total acumulado: €221.20

(a titulo de curiosidade, a pochete custou €29 e a meia de trekking €16 – Não vou computar no acumulado por ser algo que deveria ter comprado antes de iniciar a viagem).

Percorri  hoje 18.3km
Acumulado : 152.8km
Restam ainda: 622.20 km*

Dia 7 – De Estella a Los Arcos – 19/05/16

 

Logo após nosso café da manhã, passamos na capela do albergue dos capuchinhos para visitar e pedir proteção para o dia. Santo Antônio me deu umas dicas também (fica esperto Robson!). Amanheci com  dor de garganta, e depois de andar uns 2km começou a ventar muito ameaçando chuva, já peguei minha canga da mochila e tratei de tomar um cataflan que ganhei da minha amiga Tuza (valeu amiga!).

Tomando uns tragos
Tomando uns tragos
Essa é que é a verdadeira fonte - para peregrinos beberem a vontade! !!!
Essa é que é a verdadeira fonte – para peregrinos beberem à vontade! !!! A prova de que não faço desfeita.
O convite para provar o vinho é irresistível
O convite para provar o vinho é irresistível
A vinícola é muito linda!
A vinícola é muito linda!

 

Bem no caminho fica uma vinícola chamada Bodega Irache, onde eles deixaram uma torneirinha com vinho para dar uma alegria para os peregrinos, segundo eles tomar esta dose de vinho ajuda a chegar com vitalidade à Santiago. Bem, um golinho só nao faz mal, né? Às 9 da manhã só da pra tomar um golinho mesmo.

No caminho havia uma cidade chamada Azqueta, onde parei para tomar um café e visitar uma igreja muito antiga onde há uma cruz do século 8 exposta. Aproveitei para fazer mais uma oração e acender uma vela para iluminar nossos caminhos.

O doce é pra dar uma energia extra!
O doce é pra dar uma energia extra!
Café com as meninas brasileiras
Café com as meninas brasileiras
Os amigos da mesa ao lado preferiram um lanche reforçado (enorme esse sanduíche! )
Os amigos da mesa ao lado preferiram um lanche reforçado (enorme esse sanduíche! )
A igreja do século 13 que abriga a cruz do século 8
A igreja do século 13 que abriga a cruz do século 8
A tão famosa cruz do século 8
A tão famosa cruz do século 8

Depois da parada segui meu caminho sozinha de novo, e quando estava já novamente aquecida e pegando um bom ritmo, eis que um casal na faixa de uns 70 anos (era o que eu achei), me ultrapassou. Como assim ???? Liguei meu som para dar um pique e fui que fui para ultrapassar. Apertei o passo e nada… lá foram eles tomando cada vez mais distância. Tô destreinada mesmo, só me resta aceitar… Logo à frente vi que eles pararam em um truck para um café e eu segui toda feliz, agora eu passei a frente novamente!

Alguns quilometros a frente e depois de uma pequena perdida que dei (me distraí vendo as flores no caminho e perdi a sinalização, tive que voltar um pouco, sacanagem) eis que o casal me passa novamente, e o senhor puxou um assunto perguntando se era eu que estava ouvindo uma musica lá atrás…. tirando onda com a minha cara, olha só a que ponto cheguei. Bem, tenho que aceitar as minhas limitações, ele realmente estava em melhor forma. Chegando na cidade encontrei-os e fui parabenizá-los pela excelente forma física. Eles eram da Dinamarca, muito simpáticos, tinham na verdade 63 anos, estavam juntos desde os 16 (muito fofos caminhando de mãos dadas!) e tinham uma filha com a minha idade que estava caminhando mais devagar e eles estavam esperando por ela (tá vendo gente, não estou assim tão mal).

Eu tirei fotos com eles no Snapchat, porém esse aplicativo é muito instável e apaga algumas coisas que eu posto, dá uns erros esquisitos, tô tentando agora fazer mais fotos na câmera e menos por lá, náo quero perder mais nada importante.

Jantar com os amigos: finalmente uma comida que eu tenha vontade de comer 😃😃😃
0Jantar com os amigos: finalmente uma comida que eu tenha vontade de comer 😃😃😃

Em Los Arcos pela primeira vez desde que comecei o caminho jantei de verdade, pois na maioria dos lugares eles tem um menu pronto para peregrinos com pratos não vegetarianos, então eu acabava optando por comer um sanduiche de queijo ou tortilla, mas hoje comi uma deliciosa macarronada ao molho funghi no jantar e dei uma voltinha na pracinha da cidade antes de dormir.

Dados extras:
Café e água: €2.90
Mercado: €8.40
Albergue  € 10.50
Jantar €6.00
Total do dia: € 31.70
Total acumulado: €198.20

Percorri  hoje 21.20km
Acumulado : 134.50km
Restam ainda: 640.50 km*