Workaway 1 na Bélgica

Quando eu estava pesquisando sobre a viagem achei um programa na internet de trabalho voluntário chamado workaway. A ideia de fixar endereço por um tempo em algum lugar aprendendo algo novo me interessou, então me cadastrei no site e apliquei para algumas vagas na Bélgica onde tivesse a oportunidade de aprender sobre culinária vegetariana e aprimorar o inglês (na Bélgica eles falam o Flamenco e Francês oficialmente, mas é muito comum o inglês também).

Só recebi resposta durante o caminho de santiago e para minha alegria foi de um dos meus favoritos: um hotel boutique próximo a Liège que era procurado por quem busca um lugar tranquilo. Fiquei mega feliz e confirmei na hora.
Os meus anfitriões seriam a Tessa e o Erik, um casal que deve ter a idade dos meus pais e que haviam comprado e reformado uma charmosa propriedade junto do castelo de Wijer há 20 anos. Fica numa vila com o mesmo nome e as maiores cidades próximas são Hasselt e Sint truiden  (10km +- cada uma).
Cheguei em um domingo a noite, jantamos uma comida deliciosa vegetariana (lá a Tessa e seus filhos são vegetarianos, então todo dia tinha algo legal) e conversamos bastante. Contei da minha vida no Brasil e ouvi sobre a história deles terem mudado da Holanda pra Bélgica,  a primeira impressão foi ótima!

No dia seguinte comecei a trabalhar, eles não tinham nenhum funcionário fixo, apenas 2 pessoas que iam 2 vezes por semana ajudar no jardim e na limpeza,  mas eles não podiam contar com essas pessoas pois como não havia contrato de trabalho, as vezes eles não apareciam, então eles já estavam acostumados a fazer todo o trabalho e já tinham um esquema de divisão de tarefas. Eu ajudava em tudo o que me pediam, então cada dia eu fazia uma coisa diferente. De todas as tarefas a que eu mais apreciava era mesmo ajudar na cozinha e cuidar do jardim (mas em dias quentes não era muito legal não ).

Essa é a entrada da propriedade. Ela foi construída no século 12, totalmente reformada no século 16 ficando só a fundação, e quando eles chegaram ampliaram a construção que já existia. Olha o castelo no fundo.
Essa é a entrada da propriedade. Ela foi construída no século 12, totalmente reformada no século 16 ficando só a fundação, e quando eles chegaram ampliaram a construção que já existia. Olha o castelo no fundo.
Essa construção na frente é o hotel com frente para o jardim. Eu fiquei hospedada na casa deles que fica no fundo, na divisa com o castelo.
Essa construção na frente é o hotel com frente para o jardim. Eu fiquei hospedada na casa deles que fica no fundo, na divisa com o castelo.
O jardim. A parte do fundo eu ajudei a dar a manutenção enquanto estive lá. O trabalho é duro mas é ótimo ver tudo lindo.
O jardim. A parte do fundo eu ajudei a dar a manutenção enquanto estive lá. O trabalho é duro mas é ótimo ver tudo lindo.
Essa era a hortinha orgânica deles
Essa era a hortinha orgânica deles, no fundo o balão do vizinho em processo de subida.
Esse balão fez minha alegria no dia que ele subiu.
Esse balão fez minha alegria no dia que ele subiu.
O castelo mais de perto.
O castelo mais de perto.
Neste quarto que eu fiquei, achei uma delícia!
Neste quarto que eu fiquei, achei uma delícia!
TInha um climinha super gostoso, todo antiguinho com uma decoração romântica.
TInha um climinha super gostoso, todo antiguinho com uma decoração romântica.
Essa era a cozinha das delícias!!!! Esse fogão é o máximo, ele fica ligado o tempo todo, tem 4 fornos cada um com uma temperatura diferente e duas chapas em cima sempre quentes.
Essa era a cozinha das delícias!!!! Esse fogão é o máximo, ele fica ligado o tempo todo, tem 4 fornos cada um com uma temperatura diferente e duas chapas em cima sempre quentes.

Na primeira semana tudo correu bem, me diverti com o trabalho, com as conversas do jantar, era a única hora do dia em que nos reuníamos então costumava ser um momento agradável. O único dia triste foi o dia que um dos cachorrinhos deles morreu de velhice.

A mesa do jantar era sempre linda, eles tinham louças maravilhosas e as vezes variavam para deixar a mesa mais bonita.
A mesa do jantar era sempre linda, eles tinham louças maravilhosas e as vezes variavam para deixar a mesa mais bonita. Esse foto foi do meu último jantar e foi especial por ser a primeira vez que comi alcachofra fresca assim.
Olha que coisa mais linda esse prato!!!!
Olha que coisa mais linda esse prato!!!!
Num dos dias a noite rolou um churras com o filho mais velhos deles e seus amigos
Num dos dias a noite rolou um churras com o filho mais velhos deles e seus amigos (aqui anoitece 10 da noite)
E esse é o churrasco belga. A salsicha era vegetariana feita com carne de soja. Para acompanhar: queijo, milho verde cozido, salada e batatinha frita belga.
E esse é o churrasco belga. A salsicha era vegetariana feita com carne de soja. Para acompanhar: queijo, milho verde cozido, salada e batatinha frita belga.
A supresa foi o gato negro chileno na mesa. Por aqui é fácil achar e é barato também.
A supresa foi o gato negro chileno na mesa. Por aqui é fácil achar e é barato também.
O almoço era improvisado e cada um por si, então eu sempre comia um pão com alguma coisa fácil que tivesse dando bobeira, nesse dia tinha um creme de queijo com pesto caseiro.
O almoço era improvisado e cada um por si, então eu sempre comia um pão com alguma coisa fácil que tivesse dando bobeira, nesse dia tinha um creme de queijo com pesto caseiro.
A comida era sempre tão linda....nem todos os dias fotografei, mas me arrependo, quero copiar tudo quando voltar para o Brasil. Neste dia foi ravioli caseiro com recheios variados: cogumelos, tomate e outro com espinafre.
A comida era sempre tão linda….nem todos os dias fotografei, mas me arrependo, quero copiar tudo quando voltar para o Brasil. Neste dia foi ravioli caseiro com recheios variados: cogumelos, tomate e outro com espinafre.
Mas eu trabalhava também...esse dia aí foi no jardim.
Mas eu tava aqui era para trabalhar e não para comer…esse dia aí foi no jardim.
Limpei o canteiro de manjericão quase todo...outro dia eu termino.
Limpei o canteiro de manjericão quase todo…outro dia eu termino.

A minha ideia inicial era ficar 3 semanas, porém quando coloquei o meu roteiro de viagem no papel vi que só seria viável ficar 2, porém essa minha notícia não foi muito bem recebida e acabou tirando o brilho dos dias que se seguiram. Mas eu fiquei lá firme, sem desistir…. A diferença cultural realmente pesa numa relação tão estreita como a que eu estava vivendo, de ficar na casa de pessoas com outra perspectiva (e expectativa).

Comecei então usar o meu tempo livre para passear de bicicleta nas cidades próximas e no meu dia de folga fui à Liege (fica a pouco mais de uma hora de trem).

Lá as ciclovias tem rotas numeradas, cada trecho tem um número e dá pra montar a sequencia e seguir as placas sem precisar consultar os mapas. Achei bem inteligente.
Lá as ciclovias tem rotas numeradas, cada trecho tem um número e dá pra montar a sequencia e seguir as placas sem precisar consultar os mapas. Achei bem inteligente.
Esse é o centro histórico de Sint truiden, uma das cidades próximas do hotel e onde fui passear de bicicleta.
Esse é o centro histórico de Sint truiden, uma das cidades próximas do hotel e onde fui passear de bicicleta.
Waffle sempre!
Waffle sempre!

 

O caminho para Hasselt tinha mais ou menos essa cara. Pensa no calor...tava mais quente.
O caminho para Hasselt tinha mais ou menos essa cara. Pensa no calor…tava mais quente.
O centro da cidade com a torre da igreja no fundo.
O centro da cidade com a torre da igreja no fundo.
Lá fazia tanto calor que a sorveteria era o lugar mais bombado da cidade.
Lá fazia tanto calor que a sorveteria era o lugar mais bombado da cidade.

 

A barraca mais linda da feira de Hasselt
A barraca mais linda da feira de Hasselt
Acho linda demais as construções.
Acho linda demais as construções.
Claro que tinha que comer um para manter o vicio em dia
Claro que tinha que comer um para manter o vicio em dia
Um pouco de arte e fofura para compartilhar com vocês
Um pouco de arte e fofura para compartilhar com vocês

Por fim estive trabalhando por duas semanas neste hotel-boutique-fazenda, foi ótimo para aprender e exercitar meu inglês num nível mais profundo.

Eu ainda terei mais um workaway durante a viagem, por este eu espero ainda mais ansiosa: um Ashram no sul da Alemanha (é um centro de reabilitação e cura espiritual baseado em técnicas indianas. Lá eles tem como premissa Raw food (comida vegetariana crua). Vou ficar lá por uma semana e vou contar aqui depois como foi.

As próximas paradas são Gante e Bruges na Bélgica.

 

3 ideias sobre “Workaway 1 na Bélgica”

  1. Quantas fotos bonitas, amor! Lembrei da estátua dos cachorrinhos bebendo a água que cai da senhora com o vestido que vc havia me mostrado.. só agora reparei melhor! 😀
    Beijos!! Cuide-se, amor!

  2. Oi! Mto legal…estou doida para fazer isso. Mas olha só, vc acha que é possível fazer um voluntariado desses por 1 mês sabendo o básico de inglês?

    ;D

    1. Oi Milena! Olha, vc vai passar algum perrengue, dependendo do quão básico for, por isso sugiro que busque um local de lingua portuguesa, assim vocë vai aproveitar melhor a experiëncia, pois conversar com as pessoas é uma das melhores partes na minha opinião. Não deixe de ir, é uma excelente experiência!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *