Dia 4 – Zubiri a Pamplona – 16/05/16

Infelizmente meu celular deu uma pane e eu perdi o vídeo do trecho de hoje e o de amanhã  (fiquei triste, mas logo passou), então para não perder a audiência vou contar uma história mágica e verdadeira sobre o Caminho e suas “coincidências”.

Estava eu saindo da cidade depois de passar no mercadinho pra comprar umas frutas, aí parei na ponte pra colocá-las na mochila. Aí veio um cara correndo e acenando pra mim com meu pau de montanha.  Fui até ele agradecer e pegar o meu acessório  e resolvi fazer mais um vídeo pro snapchat,  quando passou por mim 3 pessoas e uma delas me chamou de Brasil. Achei interessante e aproximei pra me apresentar.  Eram a Rosana,  Ana e o Agapito  (Curitiba/PA, Caxias do Sul/RS e Albuquerque/Novo México/Eua). Ficamos conversando e lá pelas tantas a Ana me contou que era a segunda vez que fazia o caminho com os dois por “coincidência “.

Ana à esquerda, Agapito e Rosana à direita.
Ana à esquerda, Agapito e Rosana à direita.

Em 2013 os três se encontraram no caminho, Ana e Agapito começaram desde o primeiro dia juntos e Rosana os conheceu em Los Arcos, mas só começou a caminhar juntos depois de Ages (lá pelo 10o dia).  Aí beleza, terminaram, voltaram pra casa e ficaram amigos de Facebook. Rosana e Ana se comunicavam com certa frequência,  porém Agapito só nos aniversários e tals. Então neste ano, elas combinaram de fazer novamente o caminho juntas e quando já tinham combinado de começar em 14 de maio (que foi o mesmo dia em que começaram da outra vez) e comprado a passagem, Agapito enviou uma mensagem a elas dizendo que iria refazer o caminho em homenagem à sua esposa que havia falecido a um ano e que iria começar no dia 14 de maio como da outra vez. Neste hora eu me arrepiei inteira. Então eles estão fazendo juntos de novo ❤.

Seguimos juntos até Pamplona, exceto Agapito que é o papa léguas da turma e foi na frente pra pegar vaga no albergue municipal pras meninas e fiquei muito surpresa e feliz por ele ter reservado uma pra mim também 😃😃.  Então cancelei a reserva que havia feito no albergue particular e fiquei com eles.

Chegando no albergue sempre a rotina é tomar banho,  lavar a roupa pra secar logo, e depois pensar no resto. As meninas foram despachar parte da bagagem delas no correio enquanto fui bater perna no centro – comprar comida e um chip espanhol que pra não depender de wifi. Depois nos encontramos na rua pra tomar uma antes de ir dormir.

Vista da paisagem no caminho de hoje.
Vista da paisagem no caminho de hoje.
Tem gente que faz o caminho à cavalo
Tem gente que faz o caminho à cavalo
Vilinha no caminho 😍😍
Vilinha no caminho 😍😍
Chegando em Trinidad de Arre, cidade vizinha de Pamplona
Chegando em Trinidad de Arre, cidade vizinha de Pamplona
Trinidad é lindinha! E esse modelo da foto veio perguntar sobre onde ia divulgar a foto com ele.
Trinidad é lindinha! E esse modelo da foto veio perguntar sobre onde ia divulgar a foto com ele.
Essas fachadas com florzinhas são fofas demais, não resisto
Essas fachadas com florzinhas são fofas demais, não resisto
Esse trabalho na fachada com o símbolo do brasão feito em pedras e conchas é chegando em Pamplona
Esse trabalho na fachada com o símbolo do brasão feito em pedras e conchas é chegando em Pamplona
A entrada do Alberguerreiro Municipal que fiquei
A entrada do Albergue Municipal que fiquei hospedada
Dormitório do Albergue
Dormitório do Albergue
O prato do peregrino de Pamplona é pede um trago! Rosana pediu e eu fotografei pra mostrar pra vocês
O prato do peregrino de Pamplona sãotapas (petiscos) e cerveja pra acompanhar! Esse aí é da Rosana,  fotografei pra mostrar pra vocês.

Dados extras:
Café com leite e frutas   : € 3.50

Crédito celular: €20.00 (plano pre-pago movistar €7.00 por cada 600mb/mês + €1 por 50mb extras no mês).

Compras no mercado pra  cozinhar e lanchar no dia seguinte : €12.00
Albergue : €8.00

Vinho com os novos amigos : €2.00
Total do dia: € 45.50

Total acumulado: €137.00

Percorri  hoje 21.9km

Acumulado : 69.0km

Restam ainda: 706 km*

Dia 3 – De Roncesvalles a Zubiri 15/05/16

Oie! Hoje (18/05) resolvi tirar o atraso dos posts e dar uma descansada maior no meio do caminho 😃 na hora do almoço,  depois conto o motivo 😉.

Essa placa indica a distância para veículos, para os peregrinos a distância é menor um pouco (yessss!)
Essa placa indica a distância para veículos, para os peregrinos a distância é menor um pouco (yessss!)

O trecho de Roncesvalles a Zubiri foi tranquilo,  acordei cedinho, me sentindo disposta e animada pra caminhada do dia! Com a ajuda dos meus amigos experientes já saí de Rocesvalles com reserva feita no albergue de Zubiri,  então tinha uma tranquilidade maior em caminhar devagar. O trecho até metade do caminho foi com garoa e nublado,  depois que fiz a parada do meio do caminho pra lanchar o tempo abriu e deixou a caminhada mais agradável.

Este trecho é na maior parte do tempo dentro de bosques,  então é sombreado e agradável,  porém não tem muitos pontos para ver o horizonte. Estava bem enlameado o chão e por ser cheio de pedras deixou o caminho com mais emoção ainda.  Por várias vezes precisei de ajuda pra descer,  tava com muito medo de escorregar e (sujar a roupa) me machucar e ter esses anjos no caminho me ajudou.

Caminhei todo o trecho de hoje sozinha e tive companhia só na parada.

Lanchinho e bate papo com os conhecidos do caminho.
Lanchinho e bate papo com os conhecidos do caminho.

A cidade de Zubiri é bem pequena e por ser domingo não estava com o mercado aberto mais,  com sorte consegui comprar em uma lanchonete pão,  queijo e tortilla, que foi meu jantar e café do dia seguinte.

A galera que ficou neste albergue já era conhecida de Orisson, então depois de lavar a roupa, a bota e comer, fiquei batendo papo com o pessoal até a hora de dormir.

Tenho dormido bem aqui todos os dias, uso tampão no ouvido e máscara,  aí consigo simular que estou no escurinho do meu quarto dormindo sozinha, sem que luzes e barulhos alheios interrompam o meu sagrado soninho 😃😪.

Neste trecho não tirei muitas fotos, mas tem um vídeo aqui com os snaps sagrados para quem quiser ver um pouco do caminho do dia.

😘😘

Dados extras:
Café da manhã-capucino : € 0.80
Lanche no caminho:  €2.00

Pão e queijo na padaria: €2.50
Tortilla + pão (jantar e café do dia seguinte :  €3.5
Albergue : €10.00
Total do dia: € 18.80

Total acumulado: €91.50

Percorri  hoje 21.5km

Acumulado : 47.10km

Restam ainda: 727.9 km*

Dia 2 – Orisson a Roncesvalles

Fui a primeira a dormir e a acordar também,  5hs tava de pé. .. o café só ia começar as 7hs, então fiquei na cama escrevendo o rascunho do dia anterior,  separando as fotos… postar dá trabalho,  hehehe. Me arrumei rapidão pra ver se o frio dava uma trégua e fui para o albergue de cima tomar café  (eu fiquei em um albergue chamado Kayola, é do mesmo dono do refuge Orisson  e funciona quando ele lota, se vc estiver planejando subir os pirineus em 2 dois dias como eu fiz, super recomendo que reserve com antecedência de 3 meses, pois como é um dos únicos  pra ficar na montanha,  é também o primeiro a esgotar).

O refuge Orisson - onde jantei e tomei café. Bati a foto logo antes de iniciar a viagem de hoje.
O refuge Orisson – onde jantei e tomei café. Bati a foto logo antes de iniciar a viagem de hoje.

Café simples,  mas como era a única opção foi ótimo! Já aproveitei pra levar um sanduíche de queijo pra matar a fome no caminho,  dica do meu amigo Sênior Dick,  4a vez fazendo o Caminho.

Assim começou o percurso no segundo dia: garoa e nevoeiro que me acompanhou até o final do dia 😯
Assim começou o percurso no segundo dia: garoa e nevoeiro que me acompanhou até o final do dia 😯
Animada apesar das condições meteorológicas, depois do café da manhã reforçado tudo fica mais fácil!
Animada apesar das condições meteorológicas, depois do café da manhã reforçado tudo fica mais fácil!

Então Bora subir que é o trabalho do dia! Neblina fechando o horizonte,  garoa fina, mas por enquanto tudo certo, larguei na frente do pessoal, como boa amadora empolgada Junior.

A subida foi beeeeeem mais suave que a do dia anterior,  então deu pra ficar empolgada no começo,  logo aproveitei que estava sozinha, me sentindo a rainha da montanha,  liguei a playlist de seleção feita por mim mesma no spotify,  só as animadas, e fui que fui…. caminhando e cantando e subindo e descendo, sensacional!

Foodtruck do Francês 😍 😍 😍
Foodtruck do Francês 😍 😍 😍

De repente um oásis!  O truck do francês com algumas delícias como ovo  cozido (aleluia! Proteína pra mim!!!! Me dá três aí tio!).

Até aqui foi de boa…. Depois desse oásis,  chegando na divisa com a Espanha,  minha mão foi congelando. .. Inchada e vermelha do vento, parecia uma salsicha… não vi graça em registrar esse momento,  mas agora que passou quero comentar a título de alerta: quem vier, traga uma luvinha, please!!!

Screenshot_2016-05-16-21-58-21

 

Também aí nesse momento saímos da estrada para seguir pela trilha, toda enlameada da chuva,  mas nada que eu não estivesse preparada: nós 3, eu, vingadora e o pau de montanha. Foi de boa… juro…. o pior está por vir ainda.

Homenagem ao peregrino português que morava no Brasil que faleceu durante a peregrinação
Homenagem ao peregrino português que morava no Brasil que faleceu durante a peregrinação, tem alguns desses cruzeiros ao longo da caminhada.
I am the queen of the world! !!! Eu no ponto mais alto do trajeto - Pirineus do lado Espanhol e onde rolou a reunião sobre qual caminho seria o menos pior 😦
I am the queen of the world! !!! Eu no ponto mais alto do trajeto – Pirineus do lado Espanhol e onde rolou a reunião sobre qual caminho seria o menos pior 😦

Ao chegar no topo que emoção! !!! Esqueci de contar que enquanto fiquei no oásis comendo ovo e conversando fiado sobre política,  vários peregrinos me ultrapassaram, então quando cheguei no topo estavam vários deles reunidos olhando os mapas e conversando,  aí me aproximei da rodinha e entendi a razão : neste trecho há 2 trilhas e havia uma recomendação muito clara de não tomar o da esquerda, devido a um acidente recente que havia ocorrido envolvendo resgate de helicóptero,  porém o da direita parecia mais perigos,  pois as pedras estavam escorregadias demais pra descermos, vários tentaram e tiveram que retornar,  então havia esse impasse. Eu decidi que ia seguir o que a equipe sênior fizesse,  já que conheciam o caminho,  tinham muito mais idade e sabedoria que eu. Então tomamos o caminho da esquerda e para minha surpresa ele logo ligava na estrada pavimentada que os ciclistas utilizam, então pegamos à direita neste ponto e parecia que ia dar tudo certo. Na verdade deu, o problema é que descer exige muito mais do corpo e atenção também,  o piso estava molhado, ventava muito,  o que deixava tudo mais tenso ( e meus dedos nesse ponto pareciam um balão ) . Desliguei a música, guardei o celular, coloquei uma das mãos no bolso pra proteger e rezando fui descendo. …. deu tudo certo, mas até a adrenalina baixar e eu lembrar de registrar a viagem de novo demorou…. só depois que tirei um cochilinho que fui pensar nisso.

Almoço triste na descida - descer é realmente um desafio muito maior, subir foi de boa - ovo cozido e sanduíche de queijo
Almoço triste na descida – descer é realmente um desafio muito maior, subir foi de boa – ovo cozido e sanduíche de queijo

Depois do descanso fui cuidar de lavar a roupa que usarei daqui 2 dias (essa rotina de lavar roupa todo dia não vou conseguir escapar 😢😢), fiz um alongamento potente e fiquei por conta de ver as mensagens pelo celular e cuidar do blog ❤.  Ouvindo a conversa dos colegas de beliche resolvi reservar o mesmo albergue que eles em Zubiri, eles até me ajudaram a reservar, então pronto, resolvido!

Minha caminha linda! Emocionada com a organização do albergue público mantido por voluntários
Minha caminha linda! Emocionada com a organização do albergue público mantido por voluntários
A nossa lavanderia : €3.50 por cesto para lavar e secar, ou meia secagem de graça pra quem lavar a mão - dou um aperto de mão pra quem adivinhar qual eu escolhi
A nossa lavanderia : €3.50 por cesto para lavar e secar, ou meia secagem de graça pra quem lavar a mão – dou um aperto de mão pra quem adivinhar qual eu escolhi
Pra quem animar a cozinhar, cozinha equipada
Pra quem animar a cozinhar, cozinha equipada
Copa de apoio com máquinas de comida e microondas
Copa de apoio com máquinas de comida e microondas
Refeitório
Refeitório
Meu jantar - não aderi ao jantar do peregrino pq não tem opção vegetariana 😕
Meu jantar – não aderi ao jantar do peregrino pq não tem opção vegetariana 😕
Fachada do Albergue de Roncesvalles - era um antigo monastério
Fachada do Albergue de Roncesvalles – era um antigo monastério

 

 

 

 

 

 

Dados extras:
Café da manhã : €5.00
Sanduíche pra comer no caminho : €4
3 Ovos que comprei no caminho: €3
Tortilla pro jantar + chá : €5.50
Chocolate quente no lanche: €0.80
Albergue: €10.00
Total: € 28.30

Percorri  hoje 18.20km

Acumulado : 25.6km

Restam ainda: 749.4 km*

*to considerando um aplicativo que baixei, pq cada fonte tem uma distância diferente.

Dia 1-St Jean pied du port a Orisson

 

Sexta Feira 13!!!!! Sinal de Boa Sorte!

Peguei o trem de Bayone, cidade vizinha de Anglet para St Jean Pied du Port 11hs da manhã,  1 hora de percurso,  o tempo estava nublado,  excelente para começar a subida dos pirineus. Apesar de não ter dormido o tanto que deveria acordei bem disposta.

Meus amigos peregrinos desembarcando em St Jean
Meus amigos peregrinos desembarcando em St Jean
Arquitetura típica da região basca-casas brancas com esquadria vermelhas, essa parece com as casinha que eu desenhava antes da faculdade.
Arquitetura típica da região basca-casas brancas com esquadrias vermelhas, essa parece com as casinhas que eu desenhava antes da faculdade.

Chegando em St Jean,  fui direito pro centro de atendimento ao peregrino onde peguei informações sobre o trajeto e recebi planilha,  telefones de pousadas,  emergências, etc… e o mais importante : meu passaporte de peregrina!

Aqui apareceu o primeiro símbolo que sinaliza o trajeto da caminhada - a concha amarela (tá discreta mas tá aí )
Aqui apareceu o primeiro símbolo que sinaliza o trajeto da caminhada – a concha amarela (tá discreta mas tá aí )
2016-05-14 21.14.32
Centro de atendimento ao peregrino – voluntários dão informações sobre a primeira parte do trajeto.
Esse aí improvisou no calçado a prova de água
Esse aí improvisou no calçado a prova de água.

Meu plano era inicialmente comprar um sanduíche pra comer no caminho que seria tranquilo hoje : 7 km de distância com 600m de subida até Orisson,  porém a cidade é tão pequena que quando vi já tinha saído dela….Então vai sem sanduíche mesmo.

Mais um pouco da cidade...
Mais um pouco da cidade…
Bora começar a subir então! Meus companheiros fiéis : vingadora e pau de morro.
Bora começar a subir então! Meus companheiros fiéis : vingadora e o pau de morro.
???? Deve ser algo importante que eu vou descobrir depois
Aberto!!! No inverno as vezes fecha devido às condições meteorológicas.
A primeira parte do trajeto tem essa carinha aí...
A primeira parte do trajeto tem essa carinha aí…
Depois de subir um tantão tive esse presente.
Depois de subir um tantão tive esse presente.
Meus primeiros amigos do caminho: Andy da Alemanha e Meiry da Holanda.
Meus primeiros amigos do caminho: Andy da Alemanha e Meiry da Holanda.

No caminho conheci um Alemão e uma Holandesa, foi bom bater um papo pra distrair durante o caminho. Eles ficaram em Huntto, e então eu segui sozinha até Orisson. Peguei uma chuvinha no final,  molhou só de leve, ainda bem que quando cheguei no albergue tava rolando uma lareira com um varal estratégico pra secar as roupas.

Subindo um pouco mais da pra ver a cidade lá embaixo.
Subindo um pouco mais da pra ver a cidade lá embaixo.

Chegando no albergue fiquei feliz de ver que era pequeno, são 10 camas no mezanino e um quarto de casal embaixo. Não tem recepção nem checkin, só chegar e se ajeitar… Tomei um banho e fui descansar até a hora do jantar que foi servido num outro albergue a 15min de caminhada daqui,  ainda bem que a chuva tinha passado,  só um nevoeiro de leve lá fora (ainda bem ).

Adivinhem qual a minha cama. ..
Adivinhem qual a minha cama. ..
A parte de baixo do albergue
A parte de baixo do albergue

Acho que fui uma das últimas a chegar no salão do jantar, todos entrosados no maior clima de celebração, logo foi servido uma sopinha e ao final da entrada, Larry da Irlanda fazendo pela segunda vez o caminho,  nos apresentou a canção do peregrino.

A galera do jantar.
A galera do jantar.

O jantar estava delicioso apesar de simples : legumes com um molhinho e frango assado e de sobremesa uma torta com um recheio cremoso,  parecido com um bolo. Vinho a vontade 😃😃😃

Antes de ir embora, todos se levantaram pra se apresentar e me chamou a atenção que 90% das pessoas pareciam mais velhas que eu, e várias delas já tinham feito outras vezes o caminho. Perguntei então ao Larry a razão dele estar refazendo o caminho e a resposta me surpreendeu : a peregrinação é muito social,  voltei pra fazer novos amigos.

Barriga cheia,  pé na areia né?  Bora voltar pro meu albergue pra dormir que amanhã tem mais.

No caminho de volta pro albergue fiz mais essa amiga
No caminho de volta pro albergue fiz mais essa amiga
Gráfico do trajeto que fiz em dois dias - de st jean a Orisson e no outro dia até Roncesvalles - pra sofrer menos
Gráfico do trajeto que fiz em dois dias – de st jean a Orisson e no outro dia até Roncesvalles – pra sofrer menos

Snap do Dia 1

 

Dados extras:
Gastei hoje: € 11 trem, €15 pousada, €1.50 capucino, €1.90 água,  €15 jantar = total: € 44.40.

Percorri 7km e subi 600m (equivalente a 200 andares 😱😱😱) #vaimila

 

Visitando Biarritz 12/05/16

Tô atrasada com as postagens,  mas internet boa pra subir fotos por aqui é raridade… todos os dias tomo  nota dos melhores momentos e separo as fotos, então mesmo atrasada vou postando…

2016-05-14 11.36.45
Look da viagem: vou apresentar as peças que vão se repetir nos próximos 40 dias-bota vingadora, calça e blusa que secam rápido e tem proteção solar. Casaco impermeável corta vento.

Fui de Anglet até Biarritz a pé,  se eu não tivesse parado pra ficar tirando fotos e lendo as placas ( demorei fazendo isso,  pois como não sei francês ficava tentando adivinhar o significado) teria levado 1 hora, porém levei um pouco mais que isso.  O trajeto foi bem agradável com vários mirantes pra observar a paisagem e o mar.

Construções antigas e novas lado a lado são comuns por aqui - foto que tirei no trajeto
Construções antigas e novas lado a lado são comuns por aqui – foto que tirei no trajeto
Orla do centro de Biarritz
Orla do centro de Biarritz
Esse jardim fica na orla, não parece com Poços de Caldas-MG?
Esse jardim fica na orla, não parece com Poços de Caldas-MG?

A cidade é muito gracinha,  e guardadas as proporções,  me lembrou a cidade da minha avó em Minas, Poços de Caldas, pelos seus vários jardins floridos, praça com coreto, muitos velhinhos super ativos e sociais nos cafés, e o clima de sol com vento gelado.
Achei muito fofo esse carrossel 😍

Demorei pra procurar algo pra comer e descobri que a maioria dos lugares fecha às 14hs pros funcionários descansarem,  inclusive os restaurantes.  Com a ajuda do francês local Thibault, achei um restaurante que só estava servindo pizza, não era bem o que eu queria, mas melhor que passar fome, né?

Horário de funcionamento do café / lanchonete
Horário de funcionamento do café / lanchonete

Ele me contou sobre esse costume francês e achei interessante o ponto de vista dele: os fraceses adoram reclamar sobre dinheiro, porém não se empenham em ganhá-lo. Muitos preferem viver com a assistência que o governo dá aos desempregados de € 600.

Thibault, me livrou de passar fome e me contou mais sobre os fraceses
Thibault, me livrou de passar fome e me contou mais sobre os franceses.

Depois do almoço dei mais uma voltinha no centro antes de retornar à Anglet.

Rua do centro e o Look das francesas : calça skinny e tênis de sola alta
Rua do centro e o Look das francesas : calça skinny e tênis de sola alta

Chegando em casa, foi só o tempo de um banho e Melissa chegou cheia de novidades,  tinha arranjado o trabalho de verão dela e estava indo comemorar com uns amigos numa cidade próxima chamada Hossegor, ela foi muito legal me oferendo roupa,  sapato, maquiagem. …não tive como recusar, e lá fomos nós !

Foi legal ter um tempo só com ela, pois ela me contou muito sobre a cultura da França e como os nativos da região Basca tem preconceito com os demais, segundo ela me explicou é assim: na região dela, no norte, estão os franceses mais legais. Na região onde estávamos, Basca, o pessoal é bem bairrista e tem preconceito com franceses de fora, com estrangeiros não. No sudeste é onde moram os franceses que ela menos gosta: os ricos e metidos  (regiao da costa azul). Aí eu perguntei, e em Paris Melissa?e ela respondeu: “Lá é cidade grande né?  Ninguém tá nem aí pra ninguém, só querem saber de trabalhar e dormir”.

Ela me explicou tambem sobre o esquema de trabalho dela e dos amigos: eles trabalham com serviços temporários de estação, em hotéis e restaurantes em regiões turísticas,  só no verão e no inverno,  aí nas outras estações eles descansam. Ela é garçonete e normalmente vai pra montanha no inverno e apesar de morar numa cidade litorânea no norte,  ela prefere descer pra Biarritz pelo clima do lugar no verão  (Califórnia Francesa).

Obrigada Melissa por me "montar" pra noite!
Obrigada Melissa por me “montar” pra noite!

Fui muito bem recebida pelos amigos dela, fiquei realmente encantada com a preocupação em me fazer sentir bem entre eles, todos usando inglês na maior parte do tempo, muito legal. As meninas eram as mais divertidas, conversamos sobre vários assuntos leves como viagem, beleza, não trabalhar, festas e afins.
Achei muito interessante em como eles são bon vivants convictos! “Trabalhar é coisa de gente mais velha, nós trabalhamos em temporada, nos lugares mais badalados, de preferência meio periodo pra aproveitar o tempo livre das estações intermediárias pra viajar” me disse a Jenny. Detalhe: recebendo seguro desemprego. Depois desse verão, 4 pessoas que estavam conosco vão mochilar pela América do Sul.

Os amigos da Melissa, todos trabalham só na alta estação e folgam na primavera e outono. Eles estavam lá pra procurar uma boa vaga pro verão.
Os amigos da Melissa, todos trabalham só na alta estação e folgam na primavera e outono. Eles estavam lá pra procurar uma boa vaga pro verão.

Como ainda estamos na primavera por aqui, não tinha muita coisa na cidade pra fazer, ficamos no bar onde trabalha uns dos amigos da Melissa até fechar,  aí fomos dar uma volta na cidade e acabamos voltando pro mesmo bar, só que desta vez oficialmente fechado, pra tomar a saideira e eles fumarem mais uns 5 cigarros (saí de la totalmente defumada).

Eu e Melissa voltamos pra Anglet e eles ficaram lá, super animados ainda, e eu só pensando na minha caminhada do dia seguinte….

A saideira no bar fechado - Melissa e o amigo do bar. Ah se eu não tivesse que acordar cedo e subir a montanha!
A saideira no bar fechado – Melissa e o amigo do bar. Ah se eu não tivesse que acordar cedo e subir a montanha!

Indo pra Biarritz

Isso é tudo que eu vou levar para a viagem alem da roupa do corpo e da mochila
Isso é tudo que eu vou levar para a viagem alem da roupa do corpo e da mochila

Hello!!!!Quarta feira fiz minha mochila com a ajuda da minha prima, tive dificuldade em escolher sozinha os itens a levar, pois a meta era que a mochila não ultrapassasse  5kg. A foto acima foi a seleção final,  exceto a máquina fotográfica que de última hora eu resolvi não levar – tô confiando que o celular vai dar conta!

Mochila pronta, hora de partir!!!!!

Mochila pronta, hora de partir!!!!!
Mochila pronta, hora de partir!!!!!

Cheguei em Biarritz!

?

?
Orla de Anglet, o farol é em Biarritz e lá no fundo os Pirineus, Espanha

Fiquei hospedada em Anglet, cidade vizinha de Biarritz, muito turística também,  mas como ainda é primavera aqui não tinha muita gente. Esta região é conhecida por ser a Califórnia Francesa, atrai muitos surfistas e a galera mais roots.

?
?

2016-05-14 10.27.29

Fiz amigos em Anglet enquanto esperava pra ver o por do sol, ambos são franceses,  Fabrice e Melissa.  Fabrice é fã do Brasil, esteve em março visitando o Rio,  e isso rendeu um bom papo enquanto tomamos um vinho assistindo o por do sol….

Infelizmente ainda não consegui conciliar o tempo com a Internet,  estou atrasada pra pegar o trem, assim que eu conseguir internet de novo posto mãos.  Beijos e até !